RAPTE-CAPTE


RAPTE as ondas,R1. São elas, são as ondas da marola vital, são as ondas que se instalam e uma a uma, cada uma em sua intensidade, que provocam no vivente um disparate e disparar de coisas -questões e percepções aos quais somam-se forças dos vetores instalados nas memórias, nas lembranças, nos afetos, nos perceptos, nas esperanças, alegrias e tristezas, que chegam a tornar esse processamento vital, que é uma tentativa de entendimento humana, algo transfigurado. Tive um dia prenhe de bons encontros e nesses somei potências em alegrias compartilhadas que agora, agora ao cair da luz, não sei mais com quem dividir a não ser com você, visitante. Você que gasta parte de seu precioso tempo vindo aqui em busca do que eu nem sei, o que sei é que vens surfar. Pela manhã, após acordar a tempo, mas a preguiça e o frio eram tamanhos que me fizeram voltar á cama e lá permanecer por um outro tempo, que somados ao curto tornaram todo o programa mais ansioso porque no reverso do sono- desperto -volta, perdi as horas de alarme e me pus correndo pela vida-relógio a fora que mais parecia o coelho tic- tac apressado de Alice Lewis Carroll em busca do “tempo que o tempo tem”.Correndo, fui parar na Casa do Olhar. Mas antes disso, umas horas antes, deparei com um teco-toco de madeira recém cortado e o mesmo sorriu em copas e uma idéia estranha forma disse-me: RAPTE-ME. Nem líquido perdido não disse-me: BEBA COCA-COLA, BABE COLA, nem um alimento a dizer-me: COMA-ME. Era uma árvore recém cortada que ali no chão estava e passando por ela não tive como não percebê-la e logo lembrar do TOPO de gravação, da xilogravura em TOPO. Do topo da cabeça o pensamento-idéia: RAPTE-ME sorriu a mim e assim não contendo imperei o sentido. Carreguei-o ao local de passagem e guardando o tomei nas mãos, troquei o teco-toco-topo por folhas gravadas e rumei. Chegando á Casa do Olhar, mostrei juntamente a R1 uma série de criações maquinadas pelo Coletivo Maquínico Estelar, um grupo de xilogravadores da cidade Santo xará, ao qual integro. Trocamos idéias a cerca de fundos e mundos nas e aos quais a vida de cada integrante constela, constela nessa rede de universos referencias em franca expansão. E tudo isso, visitante, tem dado a mim, a R1 , a R2 e ao Coletivo uma força que nem sei como transpassar a ti, a não ser dizendo-te: CAPTE.

Comentários

Postagens mais visitadas