DO SOBRREVÔO DA CORAGEM


Saudações visitantes do maquinomovel, estive ausente esses dias muito mais por uma questão de brios-éticos do que qualquer outra coisa. É que me pus a pensar em como dizer de maneira mais direta sobre a formulação criada-inventada, ou melhor seria dizer arquitetada-cartografada por mim, e também me pus a pensar do quanto vale para uma linguagem blogueira ficar linkando textos de outros autores na tentativa de mostrar-te que isso que penso é factível, ou seja, que isso que construí tem uma ressonância com esse mundão do intelecto. Veja bem, é que hoje me vi revestido de coragem pura, e entenda coragem como “da possibilidade de agir com coração”, e resolvi falar abertamente, sem o aparato das citações- indispensáveis á ciência- do que vem a ser cada símbolo presente na maquinoativação. Posso contar com seu entendimento, visitante? Se sim, ótimo, pois bem, tomemos novamente a fórmula e a maneira como a penso.



M@, é o chamariz de maquinoativação, é um derivado da 2a. Lei de Newtom, onde Força é igual a massa vezes aceleração. E transpondo á linguagem dos terapeutas ocupacionais( e também dos terapeutas plásticos e dos artistas ocupacionais) que operam na fronteira da interface ARTE-SAÚDE e o exercício da esquizo-ocupação na construção de máquinas desejantes- máquinas abstratas e máquinas de guerra, para assim dizer, ocupando a idéia fundamental de ANÁLISE DE ATIVIDADES- força presente na terapia ocupacional, diria que NOSSA FORÇA É maquino (m) e ativação (@), nossa FORÇA É MAQUINO ATIVACIONAL.
A maquino ativação opera num exercício de aproximação, um APROXIMADAMENTE.
Esse aproximadamente dá conta da possibilidade de encontros.
Ao transpor a fronteira da aproximação, nos deparamos com uma divisão necessária, divisão que tem um dividendo e um divisor, como em qualquer operação matemática. Certo? No caso da fórmula, o dividendo é representado pela sigla (PH) e o divisor pela sigla (RR).

O que seria então esse PH?

Por PH entendemos as atividades humanas presentes no campo PHENOMÊNICO DO FAZER. Os fazeres possíveis da humanidade, qualquer fazer, qualquer um mesmo, escrever, caminhar, namorar, pensar, preparar um bolo, mas perceba que todas essa ações ditas por mim, visitante, estão expressas em verbalidades-ações-espaço/tempo instaladas no infinitivo, certo? A maquinoativação não instala-se no infinitivo, ela é do tempo do gerúndio. Seria então dizer preparando um bolo, conversando, caminhando, pensando... e porque isso? Porque a força da ação está presente em seu acontecimento, naquilo que acontece no encontro entre sujeito e objeto, sem mais que isso tenha tamanha importância. Porque quando se está na ação, isso de sujeito e objeto perde sua formatividade.
Então está claro que PH é referente ao CAMPO PHENOMÊNICO DO FAZER... outro dia te explico muito melhor essa idéia, ok? Podemos partir para outro termo? Então vamos lá.
Esse dividendo, o PHENÔMENO- FAZER, ganha na maquinoativação a possibilidade de ser POTENCIALIZADO. Sim há potências no fazer. E a potência é representada pela CHAVE EM CIMA DO PH.
É uma chave que abre para 4 expoentes. Na verdade isso representaria uma multiplicação presente no PHENÔMENO, que na matemática quando isso ocorre é possível que se repita a base e se some os expoentes, certo, por exemplo, 2 elevado ao quadrado x 2 elevado ao quadrado é 16. Mas ao invés disso eu posso também dizer, 2 elevado ao (quadrado+quadrado), se torna 2 elevado a quatro, e isso é 16 também. A base é a mesma e eu somo os expoentes, certo?
No caso da maquinoativação o PH seria a base que é exposta a uma potenciação, uma VONTADE DE POTENCIA.

E quais são os expoentes do PH?

São p1, p2,p3,p4....
p1 dá conta da forma, da materialidade, da junção forma-conteúdo na vida...
p2 dá conta das poesis presentes, da poética na vida...
p3 dá conta dos pathos na vida, as paixões, subjetividades...
p4 dá conta da práxis, das ações e verbos na vida...
Cada um desses expoentes opera complexamente, abrindo campos múltiplos, campos que se comunicam entre si. Por exemplo: o pathos pode se comunicar com a phorma, com a poesis, com a práxis. Na verdade todos tem uma relação bastante complexa entre si, e posteriormente te direi melhor sobre cada um deles, ok?

E o RR, o que vem a ser?

RR é a REDE RELACIONAL COM A QUAL ESSE PHENÔMENO-FAZER é compartilhada. A REDE DE RELAÇÕES QUE SUSTENTA A POSSIBILIDADE DOS ACONTECIMENTOS. Algo só é possível de acontecer se houver uma rede de relações com a qual se possa operar divisões-entre...
Aqui também vale disser que posteriormente te direi como essa rede dá sustentação, e do que vem a ser a mesma, por hoje isso que te mostrei já dá uma breve idéia do que vem a ser.
MENOR OU IGUAL AO VAZIO?

Bom, essa operação da maquinoativação tem como resultado algo que em muitos incomoda, porque dá conta do vazio, vazio possível de ser ocupado, porque na verdade, visitante, não existe vazio, não existe vazio que já não esteja ocupado, mas aqui o simbolo do vazio não tem haver ciom o nada, mas sim com a ideia de DEVIR. O vazio é o virtual, o porvir, o que está para acontecer em seguida. E tudo isso que a maquinoativação opera , toda essa análise da atividade necessariamente tem que ser menor ou no máximo igual ao DEVIR. Não pode ser maior porque se assim o fosse não aconteceria mais, seria o já acontecido. Nem pode ser somente igual porque se assim o fosse seria uma maneira de ajustar-se a um modelo. Tem que ser menor porque os devires na vida são fenômenos de dupla captura, são o mais imperceptível, são atos que só podem estar contidos em uma vida e expressos em um estilo, não tem imitação, não tem fazer como, não tem ajustamento...
Espero que eu tenha minimamente te mostrado a idéia primária disso que é a maquinoativação. Aos poucos vou te mostrando como isso opera. E queria tanto que você, visitante, deixasse aqui uma mensagem que fosse, uma dúvida, uma idéia, um afetamento.De como isso que hoje, tive a coragem de te dizer, trouxe enquanto encontro possível entre nós.
SAUDAÇÕES MAQUÍNICAS Á TODOS
andré

Comentários

Rose666 disse…
É mais que um sobrevôo da coragem.
Sinto um alçar vôo da coragem, sinto voce ganhando espaço "dos CÉU'S".
Tenho uma séria dificuldade com o raciocinio matemático, mais apreendi o sentindo, terei que ler mais vezes, isto devido a minha dificuldade.
Mais o mais importante é a apropriação que voce faz de tua TEORIA , e não se zangue comigo , voce esta teorizando sim e assinando embaixo e isto é um grande crescimento pessoal e cientifico.
Anônimo disse…
andré está incrível!!!!! impecável!!!!!a escritura... a tecitura dos conceitos-afirmações... é largo... abre-nos a uma grandeza de alma-pensamento, tb com nossa profissão. grata!
mari quarentei

Postagens mais visitadas