14' 46"


http://www.museedesnuages.fr/

Hoje vivo-me num mundo de fronteiras derretidas, limites confluentes, guerras em surdina, ocupação de espaços que dão a tônica a ser pensada. Ocupação cultural e integração territorial, bem que podia e tinha esse dever de narrar coisa diferente do que houvera acontecido, mas não tenho como, Absurdo, não tenho hoje ainda como fugir da lama vinda do antro de lástima. Sabe como são as ações humanas, o ser humano de seu veículo astral lança bombas pelo céu- virtualidade. Essas cairam frente a minha janela iluminando assim o céu que sustentava a cor de calmaria e luz. Um grande avermelhado recobriu o cair do tempo, e com ele cada qual de seus limites, Absurdo. Recolhi a valentia nesse tempo imprestável, onde o des-ge-lo fora todo ato-consumado. O que vi então surgir foi um rancor sem cabimento,
Metade de medo e outra metade desrespeito
Partam-lhe a cabeça,
disse o príncipe ensandecido.
nem de Alice nem de Paulo esperaria esse haikai. Mas ele, Absurdo, o hai-kai surgiu assim, na mesma noite em que a cor da estratosfera deu o tom do re-desconstruído. De tanto fugir pro alto, cheguei ao museu das nuvens, e elas, eram iguarias inomináveis.

Comentários

Rose666 disse…
AMIGO , ESPERO NÃO TER SIDO EU A TRAZER UM POUCO DE LAMA DE LAMURIAS .
SABE LAMURIAR LEMBRA-ME O MURRO DAS LAMENTAÇÕES . DEVE EXISTIR UMA DIFERENÇA QUALITATIVA ENTRE A LAMURIA E A LAMENTAÇÃO .
TALVEZ A PRIMEIRA SEJA ESTERIL, UM LAMAÇAL E A SEGUNDA UM PEDIDO DE SOCORRO OU A CERTEZA DE QUE NADA PODEMOS DIANTE DO INEVITÁVEL . APENAS LAMENTAR E AGUARDAR A PROVIDENCIA DIVINA . E TALVEZ ESTA SEJA APENAS A NOSSA FORÇA INTERIOR QUE NASCE APÓS LAMBERMOS AS NOSSAS FERIDAS !!!
NÃO SEI !!! NÂO SEI !!! ESTOU APENAS ELOBRUCANDO APÓS ALGUNS "MURITOS"
BEIJOS

Postagens mais visitadas