MINOTAURO

(desenho: andré nunes, 2007)

Escrever até que a palavra esmoreça , até que a palavra amoresa, em vias de contato interligadas pela língua que avessa a consideração em tentativa binárias 0:1 de entendimento.
Das formas que avisto, por onde minha observação percorre. A que é dada pelos campos da visão aguça demais os sentidos que tenho para com a vida.
Minhas vistas são bolas ávidas de entendimento. Em busca incessante de qualquer noção, qualquer uma, que seja barata, que seja gratuita, que me encontre de corpo aberto para esse contato, essa relação.
Que os ditos do desejo, que a pouco aprendido não é falta, mas excesso-construção-produção. Pois que procuro dar forma a toda ordenação caótica que faz de mim alguém em certo incoerente. Pois tenho que a vida não é das ordens da coerência, não!
Me pus a agir, nesse timbre desconsoante, cujas letras brotam da borda da boca que dita à mão a palavração do presente.
Se ao menos eu conseguisse focar o tema dessa escrita e me pusesse em foco a ser atingido eu me consideraria um gênio. Mas há 6 bilhões de outros gênios que nessa hora fazem o mesmo que eu, e já houveram tantos outros Caieiros e Pessoas, e pessoas, com pensamentos gênios como os meus, que me descuido e pasmo ganho uma consciência de que bem no fundo, talvez não tão undo assim, eu queria era ser apenas reconhecido por algo que eu tivesse feito. E uma arrogância toma conta de mim, fazendo explodir a minha fraca pretensão de humildade.
O certo é fazer disso uma experiência única, dando apenas voz ao que falo, sem brecar, sem impor, sem censurar.
Que a vida de minha cabeça é cheia de vielas e labirintos de palavras onde o humano que penso ser se encontra a muito perdido do minotauro que sou.
E esse boi deseja amor, apenas que seja amado. E o homem-humano por medo foge. Mas por mais que corra e olhe para os lados não percebe que o monstro é seu xifópago. siamês de sua existência. Que poder tem o meu corpo? Metade homem metade boi?

Comentários

Rose666 disse…
Em puro processo de digestão ou melhor diria eu em metabolização!!!
Gosto de quando escreve e coloca de forma mais intensa o teu eu.
E isto interfere com o meu eu.
E nestas afetações em que somos meio gente, meio bicho e meio anjo,
brota as criações geniais que nos afeta e imunda o mundo ao nosso redor.
A tua poesis tem esse dom ...essa
genialidade..
Embora seja suspeita pois bem sabe
que sou adepta de formas calorosas e intimas de falar.
Afinal somos humanos e atualmente o que mais nos falta é humanidade no sentido do animal.
beijos
Namastê

Postagens mais visitadas