1994 . CARTOGRAFIAS OCUPACIONAIS: coordenadas da maquinoativação -3

(imagem scaneada da prova de Atividades e Recursos Terapêuticos-1,andré nunes, 1o. semestre de 1994)

Engraçado isso da gente poder se revisitar, e resgatar as formas que registram os contatos que fizemos durante o transitar na vida e seus acontecimentos. Essa aí é uma dessas formas, tinha acabado de entrar na faculdade de T.O da USP, e havia uma disciplina dada por Elisabeth Lima de Araújo, ART-1 ( Atividades e Recursos Terapêuticos-1) onde aprendíamos um tanto sobre as relações existentes entre T.O e Arte. Ia ficar de recuperação! Não conseguira alcançar a média, era a primeira prova dentro da Universidade. Daí Beth me chamou e disse: sei que você pode mais do que isso. Pensa nessa questão e me traz uma redação na 5a. feira, nisso era uma 3a. feira.
Cheguei em casa e coloquei papel em máquina de escrever. Afinal o que acontecia entre T.O e Arte? Primeiro anista de tudo, ainda estava naquelas de escrever redação pra vestibular, foi daí que veio:
" Com o objetivo de reabilitar, reintegrar, proporcionar saúde, a T.O se faz presente, engajada em seu intuito primordial : a melhoria das condições de vida do indivíduo ou do grupo ao qual pertence. Utilizando as atividades humanas como peça chave a T.O encontra nas atividades artísticas (pois sendo a arte uma forma de comunicação de linguagem universal e que representa uma porta para o mundo social) uma grande ferramenta de trabalho; através do uso de atividades a Terapia Ocupacional proporciona o desenvolvimento de muitas coisas, como da concentração, da coordenação motora, facilita a visualização das necessidades, dos interesses, das capacidades, das limitações, das angústias, dos sentimentos do indivíduo em questão, sempre respeitando as características pessoais de cada um.
Uma questão levantada é: " o que o paciente produz pode ser considerado como arte?". Ao meu modo de ver essa é mais uma daquelas questões que por mais que se discuta nunca chegar-se-á numa resposta comunal, única. A arte, em si, depende de outros fatores, como os valores individuais, os sociais e os ideológicos, para só então poder ser compreendida e só assim passar a existir. Creio que essa não é a questão, considerada por mim a mais importante e sim: " a arte é um recurso viável?" Depende.
O objetivo maior da utilização da arte como recurso terapêutico deve transpassar as barreiras da estética e dos valores, não esquecendo é claro da arte como fonte lucrativa, pois o mundo respira arte. Mas tornar primordial a questão da socialização, do resgate do indivíduo e de sua cidadania, ou seja, o formar uma ponte entre o indivíduo resguardado ( pelo medo, insegurança, rejeição) e o social ditador (que rege o descaso e a discriminação).
É possivel transformar as artes num caminho para a comunicação social, podendo anunciar em cada obra produzida um pouco da intimidade resguardada do indivíduo em questão, possibilitando a essa pessoa o gosto de poder viver e voltar a sonhar. Só esse "tentar fazer" já faz de qualquer um artista, com méritos na arte da vida."
Vai saber o que daí estava para acontecer!

Comentários

Postagens mais visitadas