PESSOA ( ÁLVARO DE CAMPOS) E A MÁQUINA




Ode triunfal:

À dolorosa luz das grandes lâmpadas elétricas da fábrica
Tenho febre e escrevo.
Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza disto,
Para a beleza disto totalmente desconhecida dos antigos.
Ó rodas, ó engrenagem, r-r-r-r-r-r eterno!
Forte espasmo retido dos maquinismos em fúria!
Em fúria fora e dentro de mim,
Por todos os meus nervos dissecados fora,
Por todas as papilas fora de tudo com que eu sinto!
Tenho os lábios secos, ó grandes ruídos modernos,
De vos ouvir demasiadamente de perto,
E arde-me a cabeça de vos querer cantar com um excesso
De expressão de todas as minhas sensações,
Com um excesso contemporâneo de vós, ó máquinas! (...)
Canto, e canto o presente, e também o passado e o futuro.
Porque o presente é todo o passado e o futuro. (...)
Ah, poder exprimir-me todo como um motor se exprime!
Ser completo como uma máquina!
(...)
Engenhos, brocas, máquinas rotativas!
Eia! eia! eia!
Eia eletricidade, nervos doentes da Matéria!
Eia telegrafia-sem-fios, simpatia metálica do Inconsciente!
Eia túneis, eia canais, Panamá, Kiel, Suez!
Eia todo o passado dentro do presente!
Eia todo o futuro já dentro de nós! eia!
Eia! eia! eia!
Frutos de ferro e útil da árvore-fábrica cosmopolita!
Eia! eia! eia, eia-hô-ô-ô!
Nem sei que existo para dentro. Giro, rodeia, engenho-me.
Engatam-me em todos os comboios.
Içam-me em todos os cais.
Giro dentro das hélices de todos os navios.
Eia! eia-hô eia!
Eia! sou o calor mecânico e a eletricidade!
Eia! e os rails e as casas de máquinas e a Europa!
Eia e hurrah por mim-tudo e tudo, máquinas e trabalhar, eia!
Galgar com tudo por cima de tudo! Hup-lá!
Hup-lá, hup-lá, hup-lá-hô, hup-lá!
Hé-lá! He-hô Ho-o-o-o-o!
Z-z-z-z-z-z-z-z-z-z-z-z!
Ah não ser eu toda a gente e toda a parte!

IMAGEM EXTRAÍDA DE:

http://images.google.com/imgres?imgurl=http://www.fpessoa.com.ar/imagens/alvaro_de_campos.jpg&imgrefurl=http://www.fpessoa.com.ar/heteronimos.asp%3FHeteronimo%3Dalvaro_de_campos&h=497&w=346&sz=32&hl=pt-BR&start=1&sig2=w-BpXICsE3GNhI1UXZ2xoA&um=1&tbnid=y_StOq-mkiNaSM:&tbnh=130&tbnw=91&ei=xPi4R-f_GY-keYz9_NUM&prev=/images%3Fq%3DALVARO%2BDE%2BCAMPOS%26um%3D1%26hl%3Dpt-BR%26rlz%3D1T4SUNA_en___BR234%26sa%3DG

TEXTO EXTRAÍDO DE:

http://educaterra.terra.com.br/literatura/poesiamoderna/2003/11/05/001.htm

Comentários

Postagens mais visitadas