.DA.VI.DA.




A vida tem movimentos que a gente nunca espera mesmo. ANDO PELAS RUAS COM UM ROMBO NO PEITO, UM BURACO DE CANHÃO...Por mais que nos atemos e pensamos estar atravessados pelo "devir" enquanto palavra obscuramente surpresa, e todas essas novas e idéias de ordem do pulsar, ela - a máxima da vida- nos atinge num de repente que literalmente tira nosso chão. ... COMO É INGENUA ESSA COISA DE VER BELEZA NO SUTIL..A gente revive cortes profundos, numa velocidade de lembrança que espanta todas as formas que ela, a coisa viva, possa querer tomar para si. ... A MEDIDA QUE O TEMPO PASSA A MORTE VAI SE TORNANDO UMA CONSTANTE NA VIDA...Ao mesmo tempo que acho interessante esse movimento de ir em busca de uma abertura, viabilizado através de um cuidado zeloso com quem instalado num certo tempo de convívio se deu em construção, a entrada do novo bate a porta através de uma experiência corpo: não fosse a gravidez teria se afetado para a vinda do novo? ... ELA TE VISITA INEXPERADAMENTE SÓ PORQUE A GENTE FINGE QUE ESQUECE DELA...Nesse momento penso ser importante firmar presença aos "instalados", mesmo porque são através das diversidades que a força de expansão se dá. E quando se omite a letra que especifíca os sujeitos, uma certa homeogenese nos abarca como humano que somos. Na verdade ando muito triste, com toda as coisas que efetivamente encontro na vida extra-pensar na produção dela e da parceria terapia ocupacional et all... POSSO TE DIZER COM TODAS AS LETRAS QUE ALI PESADAMENTE, TAMBÉM MORRI BASTANTE...O trabalho diário tem se mostrado uma verdadeira luta em cova de leões e víboras, em troco de não deixar que simplesmente se descontrua todo um esforço em implantar a instalação precária da clínica na saúde mental. Mas me chama atenção nesses dias outro fato mais próximo a elos do vivido. ...MEU CORAÇÃO JÁ NÃO SABE-ME SER CAPAZ DE ACREDITAR...Tenho uma irmã que muito amo. Foram 8 meses de espera pelo primeiro filho. Na real 37 semanas e 2 dias intra-uterinos, até que a pressão do peso do corpo do bebê associada a pressão arterial de minha irmã não conseguiram mais se encontrar. E o bebê precisou sair de um meio e ganhar outro. Do líquido amniótico ganhou a experiência aérea. Ganhou, não fosse o fato de ter os pulmões imaturos para suportar o baque extra-corte-do-cordão-umbilical. Davi, meu pequeno-grande amor, viveu entre nós , seres aéreos, 4 dias. E por conta do corre-corre diário, de toda essa merda que faz a gente se afastar de quem faz sentido na vida, eu só pude vê-lo no caixão. Um tempo de vida que durará numa intensidade dolorosa até meu fim. Hoje entendo melhor como é possível enlouquecer. A morte ceifa, e tudo a sua volta perde muito dos sentidos, a marca é de uma força que deixo de acreditar em retorno... NÃO SEI O QUE DIZER...

Comentários

andre miolo disse…
valeu, José Otávio!

Postagens mais visitadas