PLANOLÂNDIA

Planolândia- Um romance de muitas dimensões.
Edwin A. Abbott
Conrad Editora

De quantas dimensões é feita a vida? As perspectivas que nos atravessam durante o decorrer da existência? Os sentidos que nos afirmam os encontros durante o viver, e nos permitem perceber o mundo? São pontos de vista que variam conforme nos damos conta das "n" possibilidades de mudança de informações referenciais dos mundos internos e externos que nos dão contorno.
Em "PLANOLÂNDIA", Edwin Abbott nos brinda, através de um romance envolvendo matemática, geometria e aritmética, uma experiência um tanto quanto curiosa. Narra a vida de um quadrado, que resite em Planolância, lugar onde somente existe duas dimensões: extensão e largura. As figuras residem como desenhos riscados num papel, vistas enquanto linhas, como quem ao por uma moeda na suprefície de uma mesa, e abaixando os olhos ao nível do móvel apenas visse um traço.
Durante um sonho, o personagem principal aventura-se em Linhalândia, onde entendendo e intervindo nas ordens do monarca que comanda aquele mundo, põe-se a perceber as possibilidades de viver em uma dimensão ( a das linhas e pontos).
Após isso, recebe a visita inusitada de um ente de Espaçolândia, que lhe mostra a existência de uma terceira dimensão, para além da extensão e da largura. A altura lhe é apresentada de uma forma impressionante, conferindo a ele um paradoxo entre a lucidez e a dúvida a cerca de muitas outras dimensões possíveis.
O livro também nos mostra as maneiras como a sociedade de Planolândia se articula e organiza, em indivíduos: linhas( mulheres), triângulos , quadrados, pentágonos, e demais polígonos.
Durante a leitura, fiquei a pensar que uma forma de pensarmos as "ocupações" vão de encontro a esse "pensamento espacial", cercado de uma diversidade de designs ocupacionais possíveis tantas são as maneiras de se instalar na vida.
Uma boa dica de leitura a quem goste de construções de redes humanas em linhas de cuidados, ganhar os contornos dessa narrativa em muitos nos proporciona qualidades presentes nas superfícies e nas densidades.
abraço
andré

Comentários

Postagens mais visitadas