LIVRO-ME V OU O meu MAPA




... toca o telefone. e o que se tem pra fazer é deixado de lado, porque ele te fisga pela curiosidade do inusitado. É Christiana Moraes, mulher que um dia assim teclou: / In : estou cansada de fingir que estou zerinha (2003). " a mente que sabe e que não sabe... a mente não é o que sabe ou o que não... tá em qualquer lugar em coordenada discriminada... não o que sabe e o que não sabe... tá na rótula solta, no rótulo solto, no peido do pirão, na unha por cortar... tá em qualquer lugar em todos em nenhum... mas faz tempo que deixei de pensar que o que sabe se chama mente."
Depois da característica saudação AÊ! vem a pergunta "naonde estou?". Cai a linha, dessa discada, dessa piscina, da tatuagem na oponência da mão por fazer. Telefonia móvel sofre do drama de não suportar conversas cheias de chios vitalícios. Retorno a ligação do telefone de casa preso a parede. Percebo que as crostas de cimento e tijolos alojam em suas entranhas fios de conversação. Estes esticam-se rua afora, estradas longes, satélites extraozônicos.
Vem então o pacote inteiro informação. Fale. Ouça.
" _ Eu recebi um e-mail, quer dizer, uma estagiária me mostrou um e-mail de uma exposição que vai acontecer nesse final de semana no prédio ocupado pelo movimento dos sem teto do centro da cidade e o meu nome tava lá e eu estava pensando em fazer uma oficina de performance e hoje vai ter uma festa e eu queria ir pra sentir o ambiente e eu queria riscar o chão mas queria construir uns bastões de giz e eu queria sair do último andar do prédio e caminhar pela cidade 24 horas sem parar e o que você acha? E vai pensando em como repor o material! e como faz isso e eu tenho algumas idéias e você topa"?

" topar:[ de top, onomatopéia de um choque brusco + ar.] verbo transitivo direto
1. Encontrar, achar
2. Aceitar ( a parada, o jogo)
3. Jogar contra (todo o dinheiro do jogo)
4. Aceitar (uma proposta, um convite)
5. Encontrar (-se), deparar
6. Ir de encontro; encontrar-se, chocar-se
7.Dar com o pé
8.Ferir o boi de frente com aguilhada
9. Acordar, concordar
_ Quero ir agora a São paulo - você topa?"
FERREIRA, A.B.H.- novo Dicionário Aurélio séc.XXI, p.1973. Ed. Nova Fronteira, rio de Janeiro, 1999.
 Nos top-tops da vida, a gente acorda de sonhos alienantes e acorda acordos que mudam os rumos de alguns sentidos que a vida tem.
_ EU TOPO!
Passo a mão no essencial: uma calça jeans folgada, um sapato confortável, uma camiseta simples e um casaco para o frio ou a chuva que a noite possa vir. Só precisei disso. E dei uma olhada daquelas em todos os objetos-coisas dentro de casa. Saí pensando: " Nada disso eu vou carregar". Sair andando... e meu mapa começou aqui, no trancar de uma porta, começo de um outro trajeto.
Um MAPA é uma representação mental da realidade exterior que cada um gera de acordo com suas crenças, curiosidades, sonhos, fantasias proporcionadas por histórias de vida, em suma, por uma série de ATIVIDADES MENTAIS (?), PSÍQUICAS (?) SUBJETIVAS (?).
Um MAPA é uma palavra latina, um substantivo masculino, uma representação em supefície, um plano, escala menor de um lugar, país, território, OCUPAÇÃO...
Para o povo desse lado de cá do mapa, brasileiros que divergem em gírias, a palavra MAPA tem vários usos:
mapa da mina: expediente para alcançar com facilidade um objeto difícil ou custoso, aquela mina ali, isso, em frente aquela porta!
não estar no mapa:Ser fora do comum; ser fora de série, não estar no gibi, ser extra-lugar algum qualquer
riscar do mapa: suprimir, excluir, tornar-se out
tirar um mapa: observar com atenção, guardar na memória o que se está observando.
De perto do porto parti.

Comentários

Postagens mais visitadas